Alerta importante! Assim os bebês devem dormir: nunca de bruços, SEMPRE de barriguinha para cima!

Dormir nesta posição

Dos vários temores que passam a morar na cabeça de mães preocupadas com a saúde de seus bebês mundo afora, a morte súbita infantil talvez seja o maior deles.

Por definição, a morte súbita infantil (ou morte súbita do lactente) é a “morte súbita e inesperada, durante o sono, de criança com menos de 1 ano de idade, onde a história clínica, o exame físico, a necropsia e o exame do local do óbito não demonstram a causa específica do mesmo”.  A morte ocorre no local em que o bebe está dormindo e não existe previamente nenhum sinal consistente indicando que o bebê está em risco de vida.

A doença não é nova, entretanto, após uma das primeiras recomendações formais feitas pela American Academy of Pediatrics (AAP) de que TODOS OS BEBÊS DEVEM DORMIR DE BARRIGA PARA CIMA, em 1992, as mortes pela síndrome caíram pela metade – suspiro de alívio.

Existem fortes evidências de que o risco de morte súbita infantil é maior quando os bebês dormem de bruços (decúbito ventral). Apesar de existirem outros fatores de risco conhecidos, como idade materna jovem, várias gestações com intervalo curto, ausência de pré-natal, prematuridade e baixo peso ao nascer, o decúbito ventral pode servir de gatilho, tornando-se uma variável importante.

baby-sleeping-diagram

A causa exata não é conhecida, mas uma das teorias mais aceitas baseia-se em prováveis alterações do mecanismo de despertar destes bebês.

Na atualidade, entretanto, além da necessidade de manter o bebê em decúbito dorsal (barriguinha para cima), muitos outros cuidados tem sido discutidos e preconizados para criar um ambiente seguro para o sono dos bebês até 1 ano de vida.

Resumo das recomendações atuais para prevenção de Morte Súbita Infantil

  1. Decúbito dorsal (barriguinha para cima) durante o sono. Mesmo que seja um cochilo da tarde.
  2. O bebê sempre deve dormir em superfície firme, como um colchão de berço adequado.
  3. Pode-se dividir o quarto com o bebê (recomendado), mas JAMAIS dividir a cama. Bebês de qualquer idade não podem dormir com os pais devido ao risco de sufocamento.
  4. Não deixar objetos soltos no berço, a exemplo de almofadas, brinquedinhos ou enfeites.
  5. Realizar um bom atendimento Pré Natal assegura menos risco de morte súbita para o bebê.
  6. Não se expor ao fumo durante a gestação e após. O fumo está associado ao aumento do risco de morte súbita infantil. O mesmo se aplica ao consumo de álcool e drogas ilícitas.
  7. A amamentação é recomendada e tida como protetora contra morte súbita.
  8. Considerar o uso de chupetas se o bebê aceitar. Existe uma associação com o uso de chupetas e a diminuição da ocorrência de morte súbita, mas este item ainda demanda maiores evidências.
  9. Evitar o superaquecimento do bebê. Cuidado com excesso de roupas e cobertores no berço. Bebês muito aquecidos tem maior risco. Se for cobrir o bebê, deixe cabeça e ombros livres.
  10. Não se recomenda uso de monitores cardíacos ou respiratórios. Não há comprovação de efetividade na prevenção e o dispositivo pode deixar pais mais ansiosos.
  11. A imunização de acordo com o calendário vacinal é um fator protetor.

 

Quando deixar o bebê de bruços (decúbito ventral)

A fim de prevenir a plagiocefalia posicional, situação onde a cabeça apresenta achatamento em resposta à manutenção do bebê em uma mesma posição, deve-se colocar o bebê, quando acordado, em decúbito ventral . Essa posição, quando supervisionada, estimula o desenvolvimento dos bebês e previne a deformidade do crânio.

dreamstime_xxl_18322707

As informações deste texto são muito valiosas e realmente podem salvar a vida de muitos pequenos. Não deixe de compartilhar.

 

Referências:

NUNES M L – Síndrome da Morte Súbita do Lactente : Aspectos Epidemiológicos, Fisiopatologia e Prevenção.

SIDS and Other Sleep-Related Infant Deaths: Expansion of Recommendations for a Safe Infant Sleeping   Environment.

 

 

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.