CONHECE A REGRA DOS 5 SEGUNDOS? Ela existe!

Greg Williams:Wikimedia Commons Não toque nesta batata frita /1,2,3,4/ tarde demais.

Greg Williams:Wikimedia Commons
Não toque nesta batata frita /1,2,3,4/ tarde demais.

Se você não conhece a regra certamente está familiarizado com a situação a qual ela se aplica: você chega em casa morrendo de fome, pega uma fatia de pão, passa um pouco de manteiga e…. deixa a fatia cair no chão! Na hora passa aquele mini filme na sua cabeça – pego, não pego, será que sujou, será que o chão está limpo, quando foi mesmo que eu varri a cozinha?!

A regra dos 5 segundos é aquela que afirma que se os alimentos não forem mantidos no chão por pelo menos este tempo, as bactérias ainda não aderiram ao alimento e você pode comer sossegado. Bem, até eu tenho minhas ressalvas em relação a isso. Meu filho, a propósito, não tem, rs rs.

O fato é que um estudo realizado na Universidade de Aston, na Inglaterra, concluiu que existem razões sim para que essa crença dos 5 segundos faça sentido. Segundo o estudo, os alimentos não conseguem ter contato com um número importante de bactérias se ficarem no chão por menos de 5 segundos.

No estudo, os pesquisadores deixaram cair alimentos em 3 superfícies diferentes – carpete, piso laminado e azulejos. A transferência de microrganismo como a E. coli e  Staphylococcus aureus foi então monitorada e o que se viu é que em tempo inferior a 5 segundos as bactérias realmente não aderiram ao alimento. Outro fato é que o tipo de piso desempenhou um papel fundamental. Surpreendentemente, as bactérias tiveram menos afinidade com os alimentos que caíram no carpete do que com os alimentos que caíram no azulejo ou piso laminado.

O estudo também avaliou o número de pessoas que aplicam a regra dos 5 segundos e o resultado é:

  • 87% das pessoas disseram que comeriam ou que que já comeram alimentos que caíram no chão.
  • 55% daqueles que afirmam que comeriam são mulheres
  • 81%  das mulheres que comeriam o alimento do chão seguiriam a regra dos 5 segundos.

Agora, vamos e convenhamos, tente não derrubar seu lanchinho e, se derrubar, meu conselho pessoal é: jogue fora!

Anthony Hilton, professor de microbiologia que conduziu o estudo afirma que “consumir alimentos que caíram no chão ainda representa risco de infecção levando em consideração a espécie de bactéria que o alimento teve contato.”

Mas,  se quiser arriscar, o estudo aí de cima diz que o risco é menor se você respeitar a regra.

O estudo ainda não foi publicado mas pode ser solicitado através do e-mail:

j.garbett@aston.ac.uk

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.