E a vencedora é: a esponja de louça! O maior reservatório de bactérias da casa

glove-with-spongeParticularmente, mesmo em relação a esponja da minha pia que eu posso garantir por onde andou e o que tem feito, eu tenho sérias reservas quando se trata desse artefato. Se eu pensar como uma bactéria (faço isso as vezes) eu simplesmente AMARIA morar, crescer e multiplicar no interior de uma esponja.

De uns anos pra cá, muitos lares passaram a contar com a ajuda diária de máquinas de lavar louça. Elas são ótimas realmente, mas não aposentam a esponja de louça, já que tem coisas que as lavadoras não dão conta de lavar além de, dependendo do tamanho da família e da quantidade de louças, serem insuficientes.

Pode ser excesso de precaução ou coisa de enfermeira, mas pelas condições ideais que as esponjas oferecem para que bactérias vivam e cresçam,   diariamente podemos estar a beira de um surto bem no nosso domicílio. Se você acha exagero, em defesa desse ponto de vista, a Dra Kelly Reynolds, Ph.D. na Universidade do Arizona afirma que o cheiro ruim que as esponjas ficam algumas horas após o uso é o resultado do intenso crescimento bacteriano. E que elas podem ficar bem fedidinhas todo mundo já percebeu, não é?

Mas se é difícil viver sem ela, o que dá pra fazer a respeito?

Organizando as ideias percebi que não é tão difícil assim e que definitivamente vale a pena incorporar alguns novos cuidados  pra ficar longe de Salmonellas e afins. Vamos então por partes:

Tempo de uso da esponja: Vai depender um pouco da frequência com que você lava louça na sua casa. Se você lavar um pouco diariamente, acredito que duas semanas é o máximo de tempo para mante-la em uso, mas se a sua cozinha for realmente ativa, uma semana é o limite.

Como limpar a esponja: Ao final do dia, se você tiver máquina de lavar louças, pode pensar em dispor a esponja para ser lavada junto com a louça em um ciclo normal. O sabão e a água quente farão um bom trabalho nessa limpeza.

Outra opção bastante interessante é deixa-la dois minutos  no microondas. O procedimento requer cuidados mas é uma excelente alternativa, pois faz uma termodesinfecção e ainda retira a umidade da esponja. Teste no seu equipamento para definir bem o tempo e fique de olho durante todo o processo. Vale lembrar que as esponjas não podem conter fragmentos metálicos, não podem estar secas e que você deve aguardar um tempinho para que elas esfriem, ou vai queimar os dedinhos.

Além disso, mantenha uma esponja exclusiva para louças e outra para superfícies e assim que terminar de usar a esponja, enxague-as totalmente, retirando o restante de detergente e, principalmente, pequenas partículas de alimento que podem ficar retidas e servir de mantimento para  micróbios.

De resto, é partir pra diversão de lavar louças… Só que não, rs.

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.