Guia de Saúde na Copa: para que nada atrapalhe nossa festa!

screenshot.11A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo lançou agora no fim de maio um “Guia de Saúde na Copa” . O guia, escrito em três idiomas, português, inglês e espanhol, tem por objetivo apresentar algumas doenças que são de notificação obrigatória, além dos principais agravos com importância no estado de São Paulo especialmente em época de eventos em massa.

Grandes eventos podem disseminar doenças?

Ficar doente durante uma viagem, principalmente de lazer, é a ultima coisa que passa na cabeça do viajante, entretanto, um evento como a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014TM possibilita o contato e a convivência com variadas culturas, trazendo inevitavelmente preocupações para a saúde. Esse aumento de interação entre as pessoas de diversas partes do mundo pode deixar brasileiros e estrangeiros susceptíveis a doenças, em sua maioria de natureza infecciosa, e exemplo de MERS, dengue, sarampo, rubéola, entre outras, mesmo que o risco seja pequeno.

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde promoveu uma campanha de vacinação contra  sarampo e rubéola,  a fim de garantir a imunização antes da Copa do Mundo no Brasil. Tanto o sarampo como a rubéola já tiveram a transmissão endêmica  (infeção mantida na população sem necessidade de contaminação proveniente do exterior) interrompida no Brasil mas não em outras partes mundo,  existindo assim o risco das doenças serem reintroduzidas.

Outros agravos, mais raros e mais desconhecidos, também fazem parte de um fluxograma de atenção criado pelo Centro de Vigilância do Estado de São Paulo, como botulismo, antraz, tularemia, varíola, Ebola, Lassa, febre de Chikungunya, febre do Nilo Ocidental, poliomielite e outros eventos inusitados que a maior parte da população nunca sequer ouviu falar.

Orientações Gerais para Viajantes

O Guia de Saúde na Copa recomenda algumas medidas para diminuir os riscos de doenças ou agravos de importância em saúde pública durante a viagem:

– Independentemente do destino da viagem, as vacinas que fazem parte do calendário de vacinação devem ser atualizadas. A vacina contra a febre amarela, que é obrigatória para o ingresso em alguns países, deve ser tomada pelo menos dez dias antes da viagem. Em alguns estados e municípios brasileiros, também há a recomendação dessa vacina.

Lave sempre as mãos com água e sabão

– Lembre-se de usar o protetor solar, além de chapéus e roupas adequadas para o clima

– Pacientes que fazem uso de medicamentos devem levar as respectivas medicações em suas caixas originais e as receitas médicas

– Não ande descalço; evite nadar em lagoas e pequenos córregos de água parada, evitando doenças como a esquistossomose (endêmica em alguns estados), além de acidentes com animais aquáticos

– Não nade ou pesque sozinho. Afogamento é uma das causas de morte entre turistas

– Não dirija após a ingestão de bebida alcóolica (proibida para menores de 18 anos);

– Ao dirigir, use sempre o cinto de segurança. Mantenha as crianças no banco traseiro com o cinto de segurança / cadeira para menores de sete anos e meio

– Para a prevenção de doenças transmitidas por picadas de mosquitos (dengue, malária, leishmaniose e outras), uma das principais recomendações é o uso correto de repelentes. Procure aqueles à base de DEET em concentrações iguais ou maiores do que 35%, ou à base de Icaridina em concentrações iguais ou maiores do que 20%.

– Procure usar roupas claras e que cubram a maior parte da pele. Usar antes o protetor solar; o repelente deverá ser a última camada

– Evite alimentos crus ou mal-cozidos

– Utilize água tratada ou engarrafada, e verifique se o lacre está intacto

– Evite o consumo de alimentos vendidos por ambulantes

– Evite o contato com animais, vivos ou mortos, para eliminar o risco de doenças como a raiva e outras

– Caso aconteça algum acidente com animais, procure o serviço de saúde imediatamente

– Em caso de febre, lesões de pele, diarreia e outros, procure o serviço de saúde

– Mantenha a sua caderneta de vacinação atualizada.

Locais de atendimento especializado para o viajante em São Paulo:

Link: http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/viajante/cve_viajante.htm

http://www.cve.saude.sp.gov.br

(Fonte: Guia de Saúde na Copa)

A SBIM – Sociedade brasileira de imunizações também lançou o “Guia de Saúde – Viagem e Grandes Eventos bastante interesse e que vale a pena a leitura.

Alguns cuidados e a Copa do Mundo é nossa!!!

 

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.