Hepatites virais e procedimentos estéticos – Saiba mais

Na última semana estive em uma feira internacional de beleza, a Hair Brasil 2014. A feira é um mega evento que recebe cerca de 100.000 profissionais de beleza a cada ano. Nela estão cabeleireiros, manicures, podólogos, fisioterapeutas e demais profissionais da estética, beleza e cuidado pessoal.

E o que eu fui fazer lá?

Eu fui uma das palestrantes do Congresso e falei sobre a “A importância da prevenção de hepatites virais na estética”.

O convite veio da Coordenação Geral de Hepatites Virais do Ministério da Saúde e a iniciativa de tratar de um assunto tão sério e importante em uma feira de beleza foi sensacional!

A importância da prevenção de hepatites virais na estética. Hair Brasil 2014

A importância da prevenção de hepatites virais na estética. Hair Brasil 2014

O Ministério da Saúde promoveu na feira a ação Fique Sabendo. No estande, o visitante pode fazer o teste de hepatite B, hepatite C, HIV e sífilis, recebendo o resultado na hora. A equipe de saúde realizou aconselhamento e orientação e foi disponibilizada a vacina contra a Hepatite B para os visitantes da feira. Além disso, foram distribuídos preservativos e kits de materiais descartáveis para utilização no salão de beleza.

Kit para cuidar da sua saúde - Fique Sabendo

Kit para cuidar da sua saúde – Fique Sabendo

Eu já falei aqui sobre os perigos escondidos em um salão de beleza, mas na palestra pude ampliar a fala para os riscos dos tratamentos estéticos realizados de maneira insegura e alertar  sobre os cuidados necessários para preservar a saúde de clientes e de profissionais.

Quais os riscos dos procedimentos estéticos?

Um tratamento de beleza, seja manicure, limpeza de pele, micropigmentação ou até um corte de cabelo, pode acarretar infecções bacterianas, virais e fúngicas, sendo a nossa maior preocupação a hepatite B e C.

A hepatite é uma inflamação no fígado, neste caso causada pelo vírus da hepatite B e pelo vírus da hepatite C. Em ambos os casos a doença pode não apresentar sintomas, tornando o teste essencial para que seja feito o diagnóstico precoce e iniciado o tratamento. O teste pode ser realizado em qualquer centro de referência em DST, HIV e Hepatites da sua região e é gratuito.

Deve-se levar em consideração que todo procedimento que envolva contato ou risco de contato com sangue pode expor profissionais e clientes ao risco. Além disso, procedimentos com penetração mesmo que mínima da pele podem transferir microrganismos caso o material (agulhas, lancetas, extratores de comedão, etc) não sejam estéreis ou descartáveis.

Prevenção

A vacinação para hepatite B é eficaz para prevenir a doença após a administração de 3 doses em um período de 6 meses. Atualmente, todos os brasileiros até 49 anos podem ser vacinados gratuitamente além da população mais exposta ao risco, como profissionais de saúde e profissionais de beleza. Lista completa aqui . Ainda não há vacina para hepatite C.

O que observar em um Serviço de Beleza:

  1. O local e os profissionais devem ter higiene impecável
  2. Qualquer artigo que penetre a pele deve ser estéril
  3. Qualquer artigo que tenha penetrado a pele ou que apresente risco de ter entrado em contato com sangue ou fluído orgânico deve ser descartado imediatamente após o uso ou reprocessado antes de ser utilizado em outro cliente (Ex: alicates de cutícula)
  4. Todo artigo e superfície devem ser limpos antes do uso em outro cliente
  5. O profissional deve manter sua vestimenta limpa e não ter cortes ou lesões aparentes nas mãos
  6. O uso de EPI (equipamento de proteção individual) deve ser observado: luvas, máscaras e óculos de acordo com a natureza do procedimento.
  7. Ceras depilatórias DEVEM SER DESCARTADAS APÓS O USO
  8. Tintas de micropigmentação em recipientes individuais e desprezados após o uso

 Cuidados no salão de beleza – manicures, pedicures e podólogos

  • Higiene das mãos com água e sabão líquido antes e após atender cada cliente.
  • Luvas descartáveis para cada cliente
  • Materiais descartáveis: luvas, lixa para unhas e pés, palitos, protetores de plástico para cubas e bacias.
  • Toalhas individuais para cada procedimento. Uma toalha diferente deve ser usada para cada procedimento, mesmo que seja para o(a) mesmo(a) cliente. Preferencialmente toalhas descartáveis.
  • Esterilização: material previamente higienizado com água e detergente, seco e embalado. Usar preferencialmente autoclave. Se utilizado estufa observar que o tempo é 170ºC por 1 hora, sem interrupção o processo. A contagem do tempo inicia após a estufa atingir a temperatura recomendada.
  • Bacias e cubas lavadas com água e sabão líquido ou detergente após o término do atendimento de cada cliente.
  • Desinfecção do mobiliário deve ser feita com álcool 70%, após o atendimento de cada cliente.

Atualmente acho indispensável que cada cliente leve seu próprio kit. Ele deve conter toalha , alicate, espátula , lixa , palito, base e esmalte.

Fique sabendo e fique tranquilo!

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.