Por que grávidas não podem comer sushi?

gestanteQue chato, não é? Mas realmente, não apenas os sushis e sashimis, mas todas as carnes cruas são contraindicadas para gestantes e as razões não são poucas.

O sistema imunológico da mulher sabiamente é menos competente durante a gestação. Sabiamente porque, não fosse assim, teríamos o grande risco de atacar o feto por identificá-lo como um agressor. A desvantagem é que essa supressão deixa as grávidas vulneráveis a infecções, como as decorrentes da alimentação.

Ainda que as chances de adoecer por comer alimentos crus não sejam enormes, as consequências podem ser desastrosas. Desde um quadro de leve de mal estar, até severa intoxicação, desidratação e abortamento, tudo isso pode ser em decorrência de alimentos contaminados.

 

O que a gestante deve evitar

 

Peixe cru: o peixe é um alimento importante e riquíssimo em nutrientes favoráveis a gestante que, quando bem cozido, não oferece risco algum. O problema é que, consumido fresco e cru pode conter parasitas que prejudicam o crescimento do bebê por competirem com ele na absorção dos nutrientes.

Mas nem tudo está perdido, o processo de congelamento e cozimento na temperatura certa mata os parasitas e muitos restaurantes japoneses optam pelo peixe congelado para preparar sushis exatamente por esta razão.

Na dúvida, pergunte. Mas antes, fale com o obstetra para ouvir a opinião dele sobre o peixe congelado.

Outros frutos do mar como ostras e mariscos devem ser evitados na gestação, a menos que tenham sido muito bem cozidos. Quando crus, há a possibilidade de contaminação com bactérias e vírus que podem se aproveitar da queda natural das defesas na gestação e provocar intoxicação alimentar. Gestantes devem ainda evitar o consumo de cação, peixe-espada, garoupa, tubarão e marlin. A razão é a contaminação por mercúrio, prejudicial ao desenvolvimento do sistema nervoso do bebê.
Christmas dinner, joint of raw meat ready for cooking

 

Carne crua: aves, bovinos e suínos podem estar infectados por bactérias como Salmonella, Yersinia, Listeria e Campylobacter, capazes de provocar febre, vômito, diarreia, desmaios, calafrios e mal-estar, entre os sintomas mais comuns. A carne crua pode ainda transmitir parasitas causadores de doenças como teníase, toxoplasmose e cisticercose. A simples cocção destes produtos elimina o risco, portanto não os exclua do seu cardápio, apenas cozinhe-os.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Frios e Embutidos: enquanto alguns microrganismos não resistem ao congelamento, a Listeria, germe presente em frios e embutidos contaminados, é o causador de formas graves de infecção relacionada a alimentos, suportando repetidos congelamentos e descongelamentos. Em gestantes, pode haver a invasão do feto e, dependendo do estágio em que a gravidez se encontra, pode ocorrer aborto, parto prematuro ou infecção neonatal. Os sintomas mais comuns da listeriose são febre, fadiga, náusea, vômitos, dores abdominais e diarreia.

Durante a gestação, opte por consumir apenas os embutidos que podem ser cozidos.

Ainda em relação a Listeria, queijos caseiros feitos de leite não pasteurizado, além do próprio leite in natura sem pasteurização, são alimentos passiveis de contaminação.

 

ovos

 

Ovos Crus: alimentos que contenham ovos crus na sua composição como maionese caseira, sorvete caseiro ou até gemada devem ser evitados durante toda a gestação devido ao risco de infecções por Salmonella.

Não é difícil encontrarmos gestantes que apresentaram problemas gastrointestinais e a razão pode ser a falta de observação destes pequenos cuidados.

 

 

 

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.