Resoluções de fim de ano: hábitos para deixar de lado em 2014

2014Quando algo se torna um hábito significa que passou a fazer parte da nossa vida e da nossa rotina. Para algumas coisas isso é ótimo, mas para o que não presta isso é um pesadelo.

Por que então não aproveitar esse maravilhoso período de inspiração e mudança (leia-se: virada de ano) para eliminar de uma vez por todas aquilo que faz mal?

A dica de ouro é: depois de determinar o que deverá ser mudado, permaneça firme neste propósito por pelo menos 21 dias consecutivos. Por que vinte um dias? A razão é simples e não diz respeito a número de sorte. A verdade é que muitos especialistas em comportamento afirmam que esse é o tempo médio que uma ação isolada de torna hábito. E, convenhamos, 21 dias nem é tanto tempo assim, certo?

Péssimo hábito #1 – Bebidas alcoólicas

Porque parar: O consumo de álcool está associado a maior ocorrência de acidentes domésticos, de trabalho, de trânsito, a violência, ao abuso e negligência infantil, a conflitos familiares, a doenças relacionadas ao consumo de álcool e morte. Mais do que uma dose já está associada ao aumento da pressão arterial, do triglicérides e do risco de doenças cardíacas. Mulheres que consomem grande quantidade de álcool também podem ter um risco aumentado de câncer de mama, além do consumo de álcool interferir na fertilidade.

Como parar: Restrinja. Não consuma bebidas alcoólicas a ponto de sentir alteração do sistema nervoso e, de preferência, não torne a bebida um hábito social. Lembre-se de que ela está sim associada a coisas terríveis que nada tem a ver com festa e diversão. É possível ter uma vida bastante alegre e divertida sem o copo cheio de álcool. Vai por mim, eu não bebo nada há anos e me divirto a beça ;-).

Péssimo hábito #2 – Cigarro

Porque parar:  Já falamos aqui que além de péssimo pra saúde, o cigarro envelhece. Além do mais, está associado à redução da expectativa de vida por contribuir com doenças potencialmente graves e fatais.

Como parar: Por experiência própria, o cigarro é um vício tanto físico quanto emocional. Ele acalma, desestressa e da prazer (emocional), por isso o cérebro gosta e pede mais (físico).  Há duas maneiras de parar: de uma vez e gradualmente. A primeira opção é sempre a melhor! Você abandona o vício de um dia para o outro (comigo foi assim) e pode até aproveitar o ano novo como data alvo para a mudança. A segunda opção pode ser reduzir um a dois cigarros por dia associado a adiar 1 hora do primeiro cigarro a cada dia. Fazendo assim, em algum tempo não estará mais fumando.

Importante: repense a sua rotina. É fundamental, pois o gestual também é muito importante no hábito de fumar. Se todas as vezes que você entra no carro acende um cigarro, vai ter vontade de fumar todas as vezes que dirigir. Tenha balas e chicletes sem açúcar para esses momentos. Se estiver em casa e a vontade for muito grande, escove os dentes e faça alguma atividade onde o cigarro não está incluído, como tomar banho,  por exemplo. Os estudos afirmam que essa vontade louca de fumar, a fissura, passa em cerca de 15 minutos. O negócio é resistir.

Esse site é interessante para testar a dependência e buscar ajuda. Vale a pena.

http://www.queroparardefumar.com.br/

Péssimo hábito #3 – Não dormir o suficiente

Porque parar: Quando a agenda aperta é fácil pensar em cortar horas de sono para tornar o dia mais comprido, mas não caia nessa cilada. A vida fica bem mais difícil quando você não descansa o suficiente. Estudos mostram que a privação de sono reduz o desempenho cognitivo, a memória, a coordenação, a habilidade de realizar múltiplas tarefas, os reflexos além de aumentar sentimentos de stress, ira e depressão.

A privação de sono também altera a resposta imunológica deixando o indivíduo susceptível a infecções.

Como parar:  Durma. Parece simples, mas às vezes não dá tão certo assim. Vale lembrar que o ciclo do sono sofre interferência do claro e escuro e diminuir a luminosidade favorece a produção de melatonina – hormônio que nos faz dormir!

Além disso, desconecte-se: largue todas as mídias e vá pra cama.

E de tudo isso, o mais legal do Ano Novo é a ideia de que termina um ciclo e começa outro e, com isso, as oportunidades se renovam. Bora mudar!

happy jpg

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.