Será que um banheiro público pode realmente fazer alguém adoecer? Descubra

173233624É claro que banheiros públicos são cheios de bactérias. E não é de admirar que boa parte das pessoas refira “não sentar” em assentos sanitários comunitários ou ainda, opte por fazer uso de protetores descartáveis para aumentar a segurança. Mas isso é realmente necessário?

A resposta é: NÃO!

Philip Tierno, microbiologista do Mt Sinai Medical Center em Nova Iorque afirma que o que pode ser encontrado em assentos sanitários são basicamente bactérias da pele e da flora intestinal, o que pode incluir a E. coli (causadora de diarreias e intoxicações alimentares), streptococcus (causadores de amigdalites) ou o Staphylo aureus, este relacionado a infecções de pele e até pneumonias. Mas, a verdade é que não é porque os microrganismos estão lá que poderão te fazer adoecer. O motivo da aparente tranquilidade é que a pele, quando íntegra, é uma barreira realmente efetiva para impedir a penetração de microrganismos no nosso organismo. Isso vale para pele íntegra e assento sanitário visivelmente limpo.  A preocupação é outra caso a pessoa possua lesões de pele na área de contato com o assento ou se o mesmo estiver com sujeira visível.

Onde menos se espera

O lugar mais obvio para se preocupar quando se pensa em banheiro e bactérias é o assento sanitário realmente. Obvio pra alguns, não para os microrganismos. Ao dar a descarga de tampa aberta, por exemplo, são lançados inúmeros microrganismos no ar que, diga-se de passagem, nem são somente seus… Isso contribui para a contaminação das superfícies próximas, incluindo as maçanetas, balcões, prateleiras e o que mais estiver perto. Além disso, as mãos de quem acabou de utilizar o banheiro ficam rapidamente contaminadas com bactérias fecais e ao sair da cabine e tocar na torneira, dispensador de sabão líquido, etc, etc, etc, há a transferência de germes potencialmente nocivos.

Conclusão: o problema é mais em cima 

O perigo mais real e, infelizmente, menos valorizado por alguns, é a contaminação que mora na sua mão (sempre ela) e não na área que toca o assento sanitário. Essa pode sim levar a casos graves de infecção, incluindo viroses e infecções intestinais. A regra simples então é lavar as mãos de maneira correta!  Só uma passada de mãos na água não vai proteger você. Agua sabão e um bom esfregão, por favor!

Por fim, gaste uns minutinhos assistindo a este vídeo muito legal e veja do que eu estou falando:

 

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.