Teclados e mouses são considerados fontes de contaminação em serviços de saúde

keyboard-swab-100315-02Um relatório recente publicado no Infection Control Today (aqui) afirma que os teclados de computador e os mouses utilizados em serviços de saúde são considerados reservatórios de microrganismos multirresistentes podendo transmitir infecção  através do que chamamos de “contaminação cruzada”. O termo diz respeito à transferência de  patógenos de um local para outro, usualmente através de equipamentos e  mãos contaminadas.

 

A tecnologia é parte da vida moderna e isso não é diferente em relação a medicina. Consequentemente, encontramos computadores em locais que vão desde postos de enfermagem até a beira do leito do paciente. Um estudo realizado em 2013 (aqui) analisou 27 teclados de computador, 35 estetoscópios, comparando os resultados. Os equipamentos testados, antes de serem higienizados, mostraram crescimento de Staphylococcus sp (responsável por infecções hospitalares) e coliformes fecais.

Outro estudo (aqui) realizado na Tailândia analisou 282 computadores e mostrou que 17,4% dos teclados e mouses analisados estava contaminado com Staphylococcus aureus, Acinetobacter sp ou Pseudomonas sp.

Muitos trabalhos já fizeram a associação de bactérias multirresistentes envolvidas em surtos de infecção e reservatórios ambientais, como teclado, por exemplo. Sendo assim, alguns cuidados precisam ser observados por quem lida com tecnologia e não é só no ambiente hospitalar. E quando eu falo tecnologia, eu incluo ainda os telefones celulares, os tablets e outros gadgets da vida moderna. Já falamos dos celulares aqui, vale muito a pena ler!

A solução do problema

O risco de infecção relacionado à contaminação de mouses e teclados é ZERO se o profissional de saúde higienizar as mãos nos 5 momentos fundamentais.

5 momentos

A OMS considera estes 5 momentos como os mais críticos em que a higienização das mãos não pode, de maneira alguma, ser negligenciada.

Se pensarmos na cadeia de transmissão, ou seja, como um microrganismo consegue chegar a um paciente, entendemos que com a higienização das mãos a cadeia é quebrada. Mesmo que tenhamos tocado em alguma superfície contaminada, não há como transmitir infecção se as mãos forem higienizadas no 5 momentos preconizados. Simples, mas a adesão nos serviços de saúde ainda deixa muito a desejar. Dados do CDC(Centro de Controle de Doenças) estimam que a higienização das mãos seja realizada em apenas 40% dos momentos indicados. Terrível. 

Ainda assim, outro aspecto importante também é a higiene dos teclados, mouses e outros equipamentos eletrônicos.

Como limpar o teclado e o mouse do computador

  1. Desligue o computador
  2. Vire o teclado com as teclas voltadas para baixo e agite-o para que partículas maiores se desprendam e caiam.
  3. Se tiver um compressor de ar comprimido ou um aspirador portátil, complemente a limpeza.
  4. Utilize um pano macio umedecido com álcool isopropílico para higienizar as teclas e os espaços entre elas.
  5. O mouse pode ser limpo com a mesma solução de álcool isopropílico.

Pessoas mais habilidosas podem retirar as teclas e higienizar de maneira mais criteriosa todos os espaços do teclado, garantindo melhores resultados.

E o mais importante: higienizar as mãos não é fundamental apenas para quem trabalha em serviços de saúde. Computadores de escritórios, comércios e domicílios também escondem sujeira visível e invisível potencialmente prejudicial à saúde.

 

Mari Liborio, enfermeira, mestre em Ciências da Saúde e especialista em Controle de Infecção.